E-Consulters Web - Hospedagem Premium

Os Judas do PSL

A internet sabe o que vocês fizeram nos verões, invernos e primaveras passadas..
0

O PSL chegou no seu ápice com a confusão gerada na última semana. A divisão em torno do partido do presidente Jair Bolsonaro fez a satisfação da oposição. Caiu como uma luva!

Joice Hasselmann, Eduardo Bolsonaro, Luciano Bivar, Jair Bolsonaro, Heitor Freire, Dayane Pimentel foram os nomes mais comentados na treta partidária. Comprar briga alheia é patético, mas quando parei e busquei analisar “um lado certo”, considerei os movimentos desde às eleições de 2018. Todos do PSL grudaram na figura de Jair Bolsonaro, isso é fato. Poucos foram fiéis como garantiram durante a campanha.

Alguns nomes já durante a campanha me trouxeram dúvidas, Joice Hasselmann, por exemplo, dizia em público que era “100% Bolsonaro”, porém, não  perdia oportunidade de aparecer, fazer campanha também para João Dória, do PSDB. Oportunistas, assim podemos definir ambos. Primeiro João Dória, que apareceu durante toda a campanha associando sua imagem a Jair Bolsonaro, criando hashtags, vide #BolsoDoria, e mais recente afirmou que nunca apoiou Jair Bolsonaro. Incrível, não?

Heitor Freire, PSL-CE, autodenominado “Federal do Bolsonaro”, traiu e gravou a conversa com presidente tem em sua região uma suspeita de compra de diretórios, Dayane Pimentel, PSL-BA que abocanhou cerca de 90% do Fundão do diretório baiano e também se autodenominava “a federal de Bolsonaro”. Julian Lemos, PSL-PB, (chegou a citar a facada desferida pelo militante da extrema-esquerda, Adélio Bispo) andava igual papagaio de pirata durante a campanha de Bolsonaro no Nordeste, basta pesquisar vídeos da campanha. Poderia citar mais, porque ainda faltam, mas todos eles são todos traidores!

Todos eleitos  com a imagem de Jair Bolsonaro, poucos deles tinham capacidade de serem eleitos com a própria imagem. Quem era Alexandre Frota se não um cara que não passava de meme na internet? O maior feito da vida teria sido realizar um filme pornô. É o Judas em carne e osso!!!

Felipe Francischini (PSL-PR), indagou que não “foi atendido desde a eleição”. Atendido com o que? Foi eleito com o nome de Jair Bolsonaro e do pai, delegado Fernando Francischini. Não tem que fazer pedido algum ao presidente, seu trabalho é como deputado e presidente da CCJ!

Por último, o causador disso tudo: Delegado Waldir!

Quem era Delegado Waldir antes das eleições de 2018? Quem citava o nome deste cidadão antes das eleições? Ninguém!

Assim como maioria do PSL, ninguém conhecia ninguém antes das eleições!
Chamou Bolsonaro de vagabundo, não tem como negar, está registrado em áudio. “Implodir” o presidente, pois não estaria agindo contra o “combinado”.

Tudo isso ocorre depois de Jair Bolsonaro pedi uma investigação dentro do PSL, tudo por conta das candidaturas laranjas e a investigação da Polícia Federal, inclusive envolve o ministro do turismo, Marcelo Álvaro.

Os ratos estarão por perto, sejam eles “famosos” ou “iniciantes” na política, são tudo farinha do mesmo saco esperando apenas a primeira oportunidade!

Deixe seu comentário