E-Consulters Web - Hospedagem Premium

Ministério da Mulher firma parceria com a Avon para enfrentar violência doméstica durante a pandemia

A iniciativa é uma resposta ao aumento de casos de violência doméstica durante o período de quarentena
0
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Em parceria com o Instituto Avon e outras 10 instituições da sociedade civil e do poder público, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) integra o Programa Você Não Está Sozinha. A iniciativa é uma resposta ao aumento de casos de violência doméstica durante o período de quarentena adotado para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil.

No início do confinamento, entre os dias 17 e 25 de março, a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (ONDH), do MMFDH, responsável pelos canais Disque 100 e Ligue 180, recebeu mais de 7 mil ligações e registrou quase mil denúncias referentes ao tema.

Já no último dia 20 de abril, o Fórum Brasileiro de Segurança Pública e a Decode Pulse apresentaram um estudo que aponta que os números de ocorrências de violência doméstica aumentaram em seis estados brasileiros, em comparação com o mesmo período do ano passado. Mato Grosso lidera o ranking, com crescimento de 400%, seguido por Pará, São Paulo, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Acre.

“Temos informações suficientes que mostram que a violência cresceu nesse momento desafiador que estamos vivendo. Mas, também, já lançamos ações de enfrentamento e ainda estamos buscando outras soluções. Precisamos esquecer nossas diferenças agirmos de forma ordenada e planejada, com o objetivo de diminuir ao máximo os efeitos que esta pandemia tem trazido às famílias”, comentou a ministra Damares Alves.

A secretária nacional de Políticas para as Mulheres, Cristiane Britto, destacou a importância da cooperação entre as instituições. “O apoio da Avon sempre rendeu bons frutos e é fundamental a união para superarmos essa fase. A secretaria vem fortalecendo a divulgação de informações relevantes e dos canais de denúncias durante a pandemia e contar com o apoio de outras instituições é muito importante”, disse.

“O momento de pandemia e as medidas de isolamento adotadas para combater a disseminação do coronavírus tiveram como consequência indesejada um aumento significativo dos índices de violência doméstica, o que nos alertou para a necessidade de desenvolvermos ações inovadoras e rápidas para mitigar os impactos da quarentena e preservar a vida de todas as mulheres. Essa agilidade e abrangência só são possíveis com a parceria e a união de forças, como esta firmada com o MMFDH, por meio do Ligue 180”, acrescenta Daniela Grelin, diretora executiva do Instituto Avon.

Parceria

Com o objetivo de enfrentar e prevenir a violência doméstica durante a pandemia, o Instituto Avon criou o Programa Você Não Está Sozinha, um plano de ações coordenadas em parceria com mais 13 instituições da iniciativa privada, sociedade civil e do setor público com para mitigar os impactos do isolamento por meio da prestação de serviços essenciais para a mulheres e meninas em situação de violência. Estão envolvidas nessa iniciativa: Grupo Pão de Açúcar, Uber, Decode, Smarkio, Carelink, Wieden Kennedy, Wunderman Thompson e ZENO, além das organizações sociais Instituto Galo da Manhã, Instituto Cia dos Sonhos, Mapa do Acolhimento e o próprio MMFDH.

A parceria com o Ligue 180 consiste na divulgação do canal como principal veículo de orientação à mulher em situação de violência, recebendo denúncias, reclamações sobre os serviços da rede de atendimento, prestando orientação legal às vítimas e direcionando-as a outros serviços de apoio se necessário. Além disso, o canal também compartilha as informações sobre os serviços públicos disponíveis às mulheres em território nacional.

O programa faz parte da plataforma #IsoladasSimSozinhasNão, das marcas do grupo Natura &Co. Além da divulgação do Ligue 180, os recursos oferecidos pelo Programa Você Não Está Sozinha abrangem a doação de cestas básicas a mulheres em situação de alta vulnerabilidade, apoio para deslocamento durante o dia ou noite, atendimento psicológico e jurídico oferecido por voluntárias especializadas em violência de gênero, além do fornecimento de recursos para abrigos provisórios e casas de passagem em São Paulo, Amazonas, Paraíba, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Ceará e Pernambuco.

De acordo com o Instituto Avon, foi feito um levantamento com o Instituto Cia dos Sonhos considerando as cidades com o maior números de casos de Covid-19 confirmados e aquelas com altos índices de violência contra mulheres. O resultado permitiu chegar a uma lista de oito abrigos que receberão os recursos, para ampliar vagas de acolhimento provisório e apoiar as vítimas no processo de saída com um kit de apoio material.

Todos os serviços disponíveis para as mulheres em situação de violência e orientações de como solicitar ajudar psicossocial, jurídica e material estão no site.

Instituto Avon

Há 17 anos, o Instituto Avon apoia e desenvolve ações para superar dois dos principais desafios das mulheres: o câncer de mama e a violência contra mulheres. Como braço de investimento social da Avon, o Instituto já apoiou a realização de mais de 350 projetos e ações, beneficiando 5,7 milhões de mulheres.

No enfrentamento à violência, há 12 anos articula empresas públicas e privadas, organizações sociais e órgãos públicos no Brasil. No total, já destinou R$ 38 milhões para 225 projetos voltados ao fortalecimento e integração da rede de proteção à mulher em situação de violência.
O Instituto conta, ainda, com a força de mais de um milhão de revendedoras da Avon, que disseminam conhecimento sobre as causas e identificam as necessidades específicas da população em suas respectivas comunidades. Essa capilaridade e abrangência permitem ao Instituto estar presente em todos os municípios brasileiros.

Deixe seu comentário