E-Consulters Web - Hospedagem Premium

Fundo Social de São Paulo realiza sua primeira reunião com as Primeiras-Damas e Presidentes dos Fundos Sociais Municipais

0

O Presidente do Fundo Social de São Paulo, Filipe Sabará, realizou a primeira reunião de apresentação do Fundo Social, do ano de 2019, com as Primeiras-Damas e Presidentes dos Fundos Sociais Municipais. A reunião ocorreu no dia 25 de março de 2019 das 9h às 11:30 no auditório Ulysses Guimarães do Palácio dos Bandeirantes, ​com a presença do Governador João Doria, da Primeira-Dama e presidente do Conselho​ ​Bia Doria. Foram convidados os representantes dos 645 municípios, em especial as Primeiras-Damas.

Na ocasião, foram apresentados os novos projetos e a nova diretora do FUSSP.
O Fundo Social de São Paulo não tem mais a palavra Solidariedade no nome, mas ela continua em nossas ações. “Alteramos o nome do Fundo Social de Solidariedade para Fundo Social de São Paulo, pois acreditamos que solidariedade deve estar em tudo que nós fazemos, mas o principal foco é a geração de autonomia e renda para a população e a solidariedade faz parte disso, claro, mas nossa meta agora é retirar as pessoas da pobreza através de escolas de qualificação profissional, geração de empregos e empreendedorismo”, disse o novo Presidente do Fundo Social do Estado de SP.
Por decisão do Governador, uma tradição de 51 anos chegou ao fim, pois pela primeira vez não é mais a primeira-dama que preside o FUSSP. Assumiu o cargo de Presidente Executivo o Gestor Filipe Sabará, que tem ampla experiência no meio. Fundador da ARCAH e da Horta Social Urbana, Filipe já foi Secretário Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo, sendo premiado com o TOP OF MIND pela geração de mais de 2 mil empregos para pessoas em situação de rua com o programa Trabalho Novo. “Filipe terá́ a responsabilidade de dar uma visão técnica, efetiva e eficiente”, disse o Governador. Cumprindo as expectativas do governador, Filipe ineditamente está dando um choque de gestão na instituição.

Mudança nas escolas
A mudança, é claro, não fica só́ no nome. Antigos cursos estão sendo reformulados e novos cursos estão surgindo, com carga horária maior e conteúdo antenado com as demandas do mercado. Pois nessa gestão o foco de todo o trabalho é a geração de renda e autonomia. Além dessa reestruturação nas antigas escolas, a Escola de Informática e Computação está surgindo. Buscando cumprir a nova visão do Fundo Social, parcerias com o setor privado estão sendo alinhavadas e muitas novidades estão à caminho.
O Fundo desenvolve projetos visando melhorar a qualidade de vida dos segmentos mais carentes da população e possibilitando o acesso de pessoas em vulnerabilidade social a cursos de capacitação. As oficinas e cursos, estão saindo de locais nobres e de difícil acesso logístico para a população de baixa renda, e sendo instaladas em áreas de maior vulnerabilidade, prioritariamente em comunidades carentes. “Nessa nova gestão o Fundo deixou de ter uma ação mais assistencialista para promover autonomia e renda, e as ações estão sendo reestruturadas e adequadas a esse novo modelo, mais eficaz e alinhado com as demandas do mercado de trabalho.” – Reitera Filipe Sabará
Durante o evento o novo gestor do Fundo Social, ainda apresentou as duas plataformas digitais que estão sendo desenvolvidas pelo FUSSP. São elas:


SP+Humana
Primeiro aplicativo de voluntariado desenvolvido pelo poder público no Brasil, que conectará voluntários e instituições, de acordo com os filtros aplicados, como: localização, necessidade e preferências de ambas as partes.
SOSMulher
Primeira plataforma focada na mulher do Governo do Estado de São Paulo com apoio e informações sobre violência, ranking de aplicativos, vagas de emprego, coaching, terapia em grupo, e demais informações, e programas para que a mulher tenha uma melhor qualidade de vida e evolução intelectual.
Foi apresentado aos municípios o perfil territorial de vulnerabilidade social e o novo modelo de participação dos municípios. Agora, os municípios indicarão entidades da região para participarem dos novos editais de chamamentos públicos e complementarão os requisitos qualificatórios para escolha e participação das entidades de forma que apenas organizações que já prestem serviços e sejam certificadas possam nos auxiliar em nossos projetos. Ainda realizarão o acompanhamento de das atividades desenvolvidas e dos alunos participarão da inauguração das oficinas, dos cursos e das formaturas. O motivo da mudança é melhorar o acompanhamento dos projetos e a prestação de contas.

“Nesse novo momento do Fundo Social de SP queremos escutar com cuidado as demandas do interior e litoral, para aplicarmos com excelência a ampliação que estamos construindo nas escolas de capacitação, que agora estarão ainda mais focadas no desenvolvimento de autonomia e renda para a população mais vulnerável de todo o Estado.” Diz o Presidente do Fundo Social de São Paulo Filipe Sabará
“O Fundo Social está buscando inovar nessa nova gestão, queremos oferecer a população mais vulnerável cursos que os capacitem e possibilitem a entrada no mercado de trabalho ou o caminho empreendedorismo. Como primeira-dama do estado busco essa integração com as primeiras damas municipais. Quero que elas saibam que estamos sempre de portas abertas para recebê-las.” Diz a Primeira-dama e Presidente do Conselho do FUSSP Bia Doria.
“Queremos que o Fundo Social de São Paulo siga a mesma vocação do Estado de São Paulo, que se destaca pela economia criativa. Além de gerar empregos, renda e arrecadação, ela qualifica as pessoas, melhora a imagem e a autoestima. E, além de tudo, gera encanto e felicidade —um conjunto de elementos fundamentais para sermos uma sociedade melhor e mais justa.” Diz o Governador João Doria.
Ao final do evento​foi oferecido aos presentes o tradicional pão de mel produzido pelo Curso de Padaria (agora gastronomia) e para as Primeira-Damas uma necessaire confeccionada pelos alunos do Curso de Moda.


Sobre o Fundo Social do Estado de São Paulo
O Fundo desenvolve projetos visando melhorar a qualidade de vida dos segmentos mais carentes da população e possibilita o acesso de pessoas em vulnerabilidade social a cursos de capacitação, nas áreas de moda, beleza, gastronomia, informática e bioconstrução. Nessa nova gestão o Fundo deixou de ser assistencialista para fomentar autonomia e renda, suas ações estão sendo reestruturadas e adequadas a um novo modelo, mais eficaz e alinhado com as demandas do mercado de trabalho.

Com informações, Julliene Salviano/Assessora de Imprensa.

Deixe seu comentário