E-Consulters Web - Hospedagem Premium

Em evento inédito, conservadores e liberais realizarão congresso em Salvador.

Batizado de CONSAL 2020, Iniciativa é um marco para o pensamento direitista no estado nordestino.
0
Por: Paulo M. Azevedo

Já apelidado de “mini CPAC” Brasil, evento organizado pelo Instituto Antônio Lacerda, sediado na capital Baiana, planeja difundir o pensamento conservador no estado da Bahia. Com data prevista para 28 de março, evento contará com grandes nomes da direita nacional, como à deputada estadual e escritora Ana Paula Campagnolo, a ativista cubano-brasileira Zoe Martinez, e o professor e escritor baiano Osvaldo Neto.

Em entrevista recente, o  fundador e presidente do Instituto Antônio Lacerda, Rafael Ribeiro, comentou que: “O objetivo era criar uma espécie de “hub” conservador, similar ao americano, que servisse para aproximar ativistas, lideranças políticas, intelectuais, profissionais liberais e cidadãos cansados com a situação de degeneração moral e intelectual, que na Bahia, encontra-se num estágio ainda mais alarmante se comparado ao restante do Brasil ”.

Ele também afirmou que: “A expectativa é de realizar algo sem precedentes no estado em termos de evento de direita. Queremos que o CONSAL seja um marco e um abre-alas de muitas outras ocasiões que visem fortalecer o movimento conservador na Bahia e preparar política e intelectualmente os direitistas”.

Com passagem por think tanks conservadores dos Estados Unidos como o Leadership Institute e Foundation for Economic Education, Rafael Ribeiro acredita que o CONSAL 2020 pode ser considerado, guardadas as devidas proporções, uma espécie de mini CPAC – sigla para Conservative Political Action Conference, a conferência dos conservadores americanos que ocorre todo ano nos EUA desde a década de 1970 e teve a sua primeira edição nacional em 2019.

Outros nomes farão se presente no dia 28, como: o procurador do Ministério Público do Rio de Janeiro e professor da UERJ, Marcelo Rocha Monteiro; o publicitário e historiador, Léo Pirão; o colunista do periódico conservador Brasil Sem Medo, Lucas Ribeiro; e o ativista cubano Nelson Chartrand

Deixe seu comentário