E-Consulters Web - Hospedagem Premium

Brasil propõe construir usina hidrelétrica em conjunto com Bolívia

Proposta foi levantada pelo general Joaquim Silva e Luna, diretor-geral de Itaipú, nessa sexta-feira (14).
0

Em solenidade ocorrida sexta-feira (14), o diretor-geral da Itaipú Binacional, Joaquim Silva e Luna, comentou o interesse brasileiro na construção de uma nova usina hidrelétrica binacional, desta vez em parceria com o estado boliviano.

Se levada a cabo, a obra seria feita ao norte de Guajará-Mirim, município de Rondônia, através do rio Mamoré. O projeto teria o apoio financeiro e operacional de Itaipú, inaugurada em 1984 em cooperação dos governos brasileiro e paraguaio.

“Ela [a nova usina] vai ser necessária. Itaipu pode servir de referência, inclusive de relações [internacionais], que é uma construção de longo prazo. Itaipu pode ajudar muito se for tomada essa decisão. A previsão é que sejam duas hidrelétricas, de 5 mil MW a 6 mil MW [no total]. O Brasil precisa de energia segura. A engenharia diplomática para fazer uma construção dessas não é pequena. É tão complexa quanto é a engenharia para fazer a obra”, disse Silva e Luna.

Em termos de comparação, Itaipu tem potência de 14 mil Megawatts. Segundo o general, Itaipu poderia ser o agente brasileiro na futura usina binacional com a Bolívia. “Se houver isso aí, Itaipu tem muito a contribuir. Na hora em que for decidido, estamos prontos. A programação financeira seria a parte menos complexa a se fazer. Havendo essa demanda, Itaipu está em condições de se debruçar sobre essa hipótese. A interconexão energética do continente é irreversível. É questão de tempo”, adicionou Silva e Luna.

O diretor-técnico executivo de Itaipu, Celso Villar Torino, arcou em cerca de US$ 5 bilhões o valor de construção da possível usina binacional com a Bolívia, levando-se em consideração o valor médio das grandes usinas atuais.

Vale ressaltar que Itaipú atingiu a marca de maior usina hidrelétrica do mundo em produção de energia, ultrapassando a usina chinesa, “três gargantas”, constituída em 2012, na província de Hubei.

Deixe seu comentário