E-Consulters Web - Hospedagem Premium

Bolsonaro dispara contra Maia: “Esse tipo de diálogo você não vai ter comigo”

O final de tarde, pós-demissão de Luiz Mandetta ofereceu trocas de farpas entre Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia
0

Na noite desta quinta-feira, (16), Jair Bolsonaro concedeu uma entrevista a CNN Brasil, para falar sobre a demissão do ex-ministro da Saúde, Luiz Mandetta, e do novo títular do ministério, Nelson Teich. Bolsonaro afirmou que “a demissão (de Mandetta) foi de forma amigável”.

De fato, já não existia sintonia entre Bolsonaro e Mandetta. Presidente é adepto da abertura de alguns setores com alguns cuidados e o até então ministro, não aprovava os discursos. Um campo de batalha de alfinetadas até a demissão de Mandetta ser concretizada.

Mas a entrevista “perdeu” o rumo pretendido quando perguntado dos pacotes econômicos, ajuda aos Estados, números dos gastos públicos, e Jair Bolsonaro não poupou críticas ao presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM). E

 Em um elevado, Bolsonaro criticou Maia e cobrou diálogo com Paulo Guedes, Ministro da Economia, nos assuntos que possa competir aos projetos enviados pela área econômica a Câmara dos Deputados.

De acordo com estudo da equipe econômica, a projeção da ajuda aos Estados deve gerar um impacto de pelo menos R$ 93 milhões à União. Para equipe, o projeto da Câmara incentiva irresponsabilidade de Estados e Municípios.

Paulo Guedes queria uma contrapartida e a Câmara não aceitou a contrapartida e agora estamos tentando negociar com o Senado. Davi Alcolumbre que é dono da pauta no Senado. [..] Todos tem que se sacrificar e ter uma responsabilidade nesta questão“, disse Bolsonaro.

E as críticas só foram aumentando ao longo da entrevista. Bolsonaro lembrou da gigante dívida interna brasileira que está na casa de R$ 4 tri, confirmando os gastos de 2020 na estimativa do governo, os números podem ultrapassar a casa dos R$ 5 trilhões quebrando o Brasil de vez.

Não pode apenas o parlamento, que tem autoridade, tem independência, mandar conta pra gente pagar. Então, cada governador tem seu plano, fecha praticamente todo comércio, deixa de arrecadar e simplesmente manda a conta para o contribuinte pagar. Levando em conta este projeto, tudo que foi gasto até agora, a conta chegará na casa de R$ 1 trilhão“, comentou.

Bolsonaro foi indagado mais uma vez sobre o pacote de ajuda aos Estados. Os valores defendido são de cerca de R$ 77 bilhões, mas a Câmara pode aumentar estes valores causando um rombo ainda maior nas contas públicas. Durante o tópico,  a temperatura ainda estava “amena”. 

As críticas eram consideráveis. Segundo Bolsonaro, “Maia queria impor uma contribuição de 25% para todos servidores do Brasil”. Em contraproposta, Guedes pediu que não fosse realizado um reajuste até dezembro do ano que vem.

E a pergunta que deu início aos tons mais duros desde a eleição de Bolsonaro em 2018, foi justamente como seria recuperar todo dinheiro arrecadado, mais dívidas contraídas pela crise do Covid-19. De onde sairia a “montanha” equivalente a reforma da previdência.

Eu não vou deixar de trair minha consciência, eu lamento a posição do Rodrigo Maia. Ele resolveu assumi o papel do Executivo. Com ataques bastantes contundentes a nossa posição. Ele tem que entender que ele é chefe do Legislativo, eu respeito ele e ele tem que me respeitar como chefe do Executivo. Não o Congresso ou Câmara dos Deputados, mas o Rodrigo Maia é a pessoa que não quer conversar com ninguém“, disse.

(Maia) Pegar todos os governadores e jogar contra mim. Fazendo com que agora o Senado aprove essa medida sem contrapartida. [..] Qual o objetivo do senhor Rodrigo Maia? Resolver o problema ou atacar o presidente da República?
Eu lamento Rodrigo Maia, conversei com ele diversas vezes, lamento a postura que ele vem tomando. Eu sei que ele vai reagir depois, mas o sentimento que tenho é que ele não quer amenizar os problemas, combater o vírus, não deixar que a economia ‘vá’ para o espaço, ele quer atacar o governo federal. Enfiando a faca no governo federal, no sentido figurativo, para resolver o problema do outro lado“, disse Bolsonaro em um tom mais energético.

“[..] Parece que a intenção é me tirar do governo, parece. Quero crer que esteja equivocado. Os números mostram isso“, completou.

Ministro Paulo Guedes não tem mais contato com Rodrigo Maia, ele é dono da pauta. Então, a gente pede pra ele. Intenção dele parece outra, ele está conduzindo o país para o caos. Não temos como pagar uma dívida monstruosa que está aí, não tem recurso. Qual a intenção? É enfraquecer a economia para eles voltarem em 2022? Não estou pensando em política, Brasil indo bem todo mundo vai bem.

O Brasil não merece o que o Rodrigo Maia está fazendo. Brasil não merece a atuação dele na Câmara. Não é o parlamento brasileiro, não é a Câmara, é a atuação dele. Me desculpe, Rodrigo Maia, é péssima a sua atuação. Quando você fala em diálogo, a gente sabe qual teu diálogo e esse tipo de diálogo você não vai ter comigo. Não estou rompendo com o parlamento não, pelo contrário, é a verdade que tem que ser dita“, concluiu o presidente da República.

Deixe seu comentário