E-Consulters Web - Hospedagem Premium

A cartilha progressista: inteligência corrompida e realidade distorcida

O progressismo tem encontrado em países como EUA, Brasil, Polônia e Hungria barreiras ao seu crescimento
0

Vejam se não é assim… você tem aquele parente, colega na universidade ou namorado(a) que prega e deseja um mundo melhor, onde se cada ser humano e o Estado fizerem sua parte, respeitarem ao próximo e à natureza tal qual a forma como eles vêm o mundo e a sociedade, é esse o caminho para o progresso, onde tudo e todos serão felizes para sempre! Mas como todo bom conto de fadas, existem os vilões que estão a atrapalhar esse plano perfeito, na visão dos esquerdistas afetivos ou enrustidos.

Porém, os inimigos de todo esse movimento do “Imagine all the people…” são quem? Bingo! A culpa da humanidade não caminhar “assim” rumo ao “bem maior” são dos “retrógrados, dogmáticos, extremistas, fascistas, nacionalistas, olavistasbolsonaristas”. E se essa pessoa que está apontando os dedos para você tiver alguma estima por aquele que vê o mundo diferente dele, irá dizer que você está numa grande ilusão, preso numa ingenuidade arcaica que não fará nem lhe trará bem algum, pelo contrário, que o seu mundo é o de “ódio, segregação, elitismo, machismo, homofobia…”. Sendo assim: “Melhor nos afastarmos” até que você esteja convencido da cartilha detalhada abaixo.

Sendo assim, o padrão desse pessoal “progressista”, que votou e vê em Tábata do Amaral a grande salvadora desse Brasil atual com conservadorismo político crescente, é bastante extenso, ora previsível e cruel, ora chocante e pífio, porém sempre sem argumentos sólidos. Vamos lá à extensa lista. Respire fundo e prepare-se!

Ao defenderem que haja a predominância do “bom senso”, da paz social e do fim das polarizações, a cartilha “dos isentos politicamente” abraça todo o conteúdo relativo à:

  • defesa da causa feminista, com o empoderamento da mulher e o respeito ao seu corpo e suas regras;
  • da ideologia de gênero (homens mulheres são construções sociais) e do super dimensionamento dos números acerca de violências e injustiças contra os LGBT+, aqueles que são sempre alvo de discriminação, e merecem ter a homofobia igualada ao racismo…;
  • da proteção radical ao meio ambiente, que incluem os animais cujas proteínas para o consumo humano devam ser poupados, em que a solução é o vegetarianismo, para a contribuição em prol de um mundo mais justo e #crueltyfree (sim! existe essa causa e hashtag. Afinal, para quê comer vaca e porquinho se você ama o PET que está em sua casa? São todos quatro patas.);
  • ainda na linha do nazi-ambientalismo, eles chegam ao cúmulo de justificar o aborto para que haja redução da população na Terra e assim haja menor consumo de bens e recursos naturais (pois assim, menos bovinos e galináceos precisarão ir para abates após serem criados somente para esse fim!);
  • tergiversar politicamente, ou seja, sem coerência, é um must: afinal com que direito as pessoas de direita criticaram a nomeação de Lula à Ministro da Casa Civil em 2016 e agora aplaudem a nomeação de Eduardo Bolsonaro como Embaixador em Washington? Quanto contrassenso! (o redator queria incluir nesse momento um emotion à altura que traduzisse a reação à esse argumento! O que tem a ver comparar a tentativa de proteção a um ex-presidente corrupto à sugestão presidencial atual para um posto diplomático, que aliás não confere imunidade alguma e tampouco é nepotismo?);
  • a defesa do banditismo, pois os que violam a lei são em sua maioria vítimas da injustiça social da perversa sociedade;
  • a globalização econômica deve levar necessariamente à supressão das fronteiras políticas e soberanias nacionais – ONU acima de tudo e direitos humanos acima de todos;
  • porém, para os conservadores que creem na transcendência humana e noética, a mais subversiva das pautas é o relativismo religioso, em que a preferência é pelo absenteísmo, o ateísmo, o agnosticismo, o positivismo… mas tudo bem ter “fé” já que todas as formas de manifestação religiosa levam ao mesmo Deus. Islamismo, hinduísmo… “é tudo igual… mas assim… na verdade, a mais cruel, opressora, universal, inquisidora e contraditória” das religiões, é o cristianismo da Igreja Católica e demais denominações cristãs, que se acham necessariamente superiores a todos os demais.

É assim que muitos progressistas ou “isentos politicamente” pensam, acreditam e veem o mundo, sob as lentes pesadas e embaçadas derivadas de um socialismo Gramsciano egoísta e destruidor da essência humana e das verdades.

Seja por ignorância, seja perversidade, muitos que nele se respaldam desejam convencer todos ao seu redor de que essas premissas são as mais corretas e racionais para se chegar a um mundo melhor, mais pós-moderno e justo. Leviatã engano.

Deixe seu comentário